Avançar para o conteúdo principal

A mais longa paragem...

Todo o desporto tem destas coisas. Muitas vezes os atletas por uma razão ou por outra estão impedidos de treinar, de competir, de fazer o que mais gostam.

Eu já levo 16 anos de prática desportiva e 13 anos de atleta federado e apenas por uma vez (cerca de 1 semana) tinha ficado impedido de calçar os ténis e ir correr. Não existe uma explicação óbvia para este facto, numas situações é pura sorte noutras uma preparação adequada talvez tenha ajudado a prevenir lesões mais graves.

Acontece que no início de, seguramente, uma das mais importantes épocas como orientista já vou na quarta semana sem treinar. Ao início uma dor no joelho direito impedia-me de correr, mas conseguia fazer bicicleta e alguns exercícios onde não houvesse impactos para o joelho.

No final da semana passada (após 2 semanas de paragem) finalmente estava sem dores e podia voltar a treinar e depois competir. Decidi ir participar no troféu de orientação da margem sul na Base Naval de Lisboa para regressar ao que mais gosto de fazer: correr com um mapa na mão. Só que esta prova/treino não durou muito e após cerca de 5 minutos e controlar o 3º ponto de controlo enquanto olhava para o mapa bati contra um ferro de construção que me rasgou a sapatilha e não só! Levantei-me e tentei retomar a corrida, pensava que a dor que tinha era da pancada mas depois de analisar melhor decidi abdicar da prova porque não estava em condições.

Ao chegar à arena descalcei finalmente o ténis e vi que tinha um golpe no pé e é nesse momento que fico a saber que vou estar novamente sem poder treinar. Tive que levar 4 pontos perto do dedo mindinho do pé e encontro-me atualmente a recuperar disso.
Estado dos ténis após o "acidente"
Espero voltar em breve e talvez participar nos 2 dias de Arraiolos no dia 2 e 3 de novembro!


M

Comentários

  1. Aperta contigo puto! Ja sentimos a tua falta na pista! Queremos foto dos 4 pontarelos!!! Ahaha abr.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário